terça-feira, 24 de novembro de 2015

Interpretando uma Análise de Solo Agrícola (1) - Passo a Passo

A interpretação de uma análise de solo não é muito difícil. Um resultado de análise feita por um laboratório idôneo, um manual de recomendação de calagem e adubação para o Estado onde está localizada a área a ser explorada, é o necessário para iniciar uma interpretação e ter uma visão da fertilidade deste solo. Antes de tudo isto, é fundamental a coleta correta de uma amostra de terra. Já vimos coletas de amostras retiradas de qualquer lugar e mesmo fora da área
explorada. Numa lavoura extensa, podemos encontrar um ou mais tipos de solos, coloração diferente, manchas onde não cresce nada ou muito pouco, áreas com declividade, etc. Se estas manchas dominam a área é bom retirar uma amostra média da mesma e outra média do restante da lavoura. A amostra média é o resultado de várias amostras colhidas em diferentes pontos, e depois mistura-se todas as amostras colhidas e reserva-se 500 gramas desta terra para enviar ao laboratório. Como estamos vendo, a coleta da amostra média exige uma preocupação constante do responsável da área, treinando seus empregados para que façam uma boa coleta. Porque uma análise mal coletada vai dar origem a uma resultado analítico que não espelha corretamente a fertilidade do solo. O prejuízo disto é recomendação errônea de quantidade de calcário e de fertilizante. O produtor poderá aplicar maior ou menor quantidade de adubo e calcário. Isto vai influenciar, sem dúvidas, na produtividade nas culturas de expressão econômica. Sabemos que calcário aplicada em grande quantidade, além daquela que o solo exige, a supercalagem, é mais prejudicial do que não aplicá-lo. Acima de pH 7,0 a disponibilidade dos macros e micronutrientes diminui.
Vamos supor um resultado de análise, e a partir dele faremos uma interpretação:

Antes de prosseguir, é válido apresentar uns cálculos de conversão que vão se tornar necessários durante a interpretação de uma análise de solo:
dag/kg é a mesma coisa que %.
g/kg / 10 = dag/kg ou %
Assim sendo, no resultado da análise do Quadro 1;
MO = 19 g/kg = 1,9 dag/kg ou 1,9%
Argila = 600 g/kg = 60 dag/kg = 60%
cmolc = massa atômica em g / valência / 100
mmolc = massa atómica em g / valência / 1.000

O potássio (K) tem uma massa atômica de 39,1 g e é monovalente (=1)
cmolc/dm³ K = 39,1 /1 /100
cmolc/dm³ K = 0,391 g/dm³ = 391 mg/dm³
1 dm³ = 10 x 10 x 10 = 1.000 cm³ = 1 L. Considerando a densidade do solo igual a 1, então 1L de solo = 1 kg de solo.

Como transformar este cmolc/dm³ K em kg/ha ou 391 mg/dm³ K em kg/ha.
Um hectare corresponde a 100 m x 100 m = 10.000 m².
Na camada arável de 20 cm ou 0,2 m teremos
10.000 m² x 0,2 = 2.000 m³ .'. cada m³ tem 1.000 dm³
Então: 2.000 m³ x 1000 = 2.000.000 dm³.

10 mg/dm³ de P significa 0,01 g = 0,00001 kg de P
Em 1 kg de solo temos ............. 0,00001 kg de P
em 2.000.000 kg de solo (1ha) .....   X kg P
X = 0,00001 x 2.000.000 /1
X = 20 kg/ha de P

Podemos fazer, também desta maneira:
Sabemos que mg/dm³ é o antigo ppm e que mg/dm³ x 2 = kg/ha
Logo, 10 mg/dm³ P x 2 = 20 kg/ha de P.
Para transformamos P em P2O5 usamos o índice 2,29;
20 kg/ha P x 2,29 = 45,80 kg/ha P2O5

Vamos, agora, conhecer a soma de bases, as CTCs, a percentagem de saturação dos cátions em relação às CTCs, a percentagem de saturação (V%) e a percentagem de saturação do Al.

1) CALCULANDO A SOMA DE BASES


A soma de bases (S ou SB) dá uma ideia do número de cargas negativas dos coloides do solo que estão ocupadas por bases trocáveis.
SB = K + Ca + Mg + Na
A soma de bases é expressa em cmolc ou mmolc/dm³. Todos os cátions básicos devem estar expressos nesta unidade. Não se pode misturar cmolc ou mmolc/dm³ com mg/dm³
No Quadro 1, o K está expresso em mg/dm³. Portanto, antes de calcular a SB devemos converter mg/dm³ de K em cmolc/dm³. Para isto, dividimos mg/dm/³ K por 391. Vimos antes que 1 cmolc/dm/³ K = 391 mg/dm³
Então: 30 mg/dm³ K / 391 = 0,076 cmolc/dm³ K.
E se todos os outros cátions básicos estivessem expressos em mmolc/dm³?
30 mg/dm³ K / 39,1 = 0,76 mmolc/dm³
Na nossa análise hipotética teríamos:
SB = 0,076 + 1,49 + 0,48 + 0,1
SB = 2,146 cmolc/dm³

NOTA IMPORTANTE:  A continuação (segunda parte) desta publicação poderá ser visualizada pelo leitor acessando o link abaixo:
Interpretando una análise de solo (2) - Passo a passo

12 comentários:

  1. Olá boa noite . Estou aflita pois não sei fazer o calculo Da Tr . Meu professor pediu e não encontro nada sobre o assunto. POR FAVOR me ajudem . Parabéns pelo site .

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde a todos,

    Eu desenvolvi o AppGrow que realiza os cálculos para Calagem, Gessagem, Adubação para o Plantio da Soja e muito mais.
    Disponível no site: https://itunes.apple.com/us/app/appgrow/id1030900144?mt=8

    Obrigado a todos.

    ResponderExcluir
  3. Olá professor, a transformação do p
    em p2o5 parece estar errada.abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. P2O5 .............P2
      31x2 16x5 ........31x2
      142 ..........62
      X ........... 1
      X 142/62
      X igual 2,29

      Excluir
  4. Professor a conta de P
    para P2O5 parece estar errada, seria este resultado.
    20 kg/ha P x 2,29 = 45,8 kg/ha P2O5

    ResponderExcluir
  5. Muito bom professor. Está de parabéns

    ResponderExcluir

Comente, manisfeste a sua experiência, a sua dúvida, utilizando a parte de comentários.